• Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
  • Imagens
Apresentação da Empresa PDF Versão para impressão

Fundada em 07 de Maio de 1990, inicia a sua actividade de comércio e distribuição de materiais de construção em Setembro do mesmo ano, centrando o seu “core business” nos materiais para coberturas e revestimentos industriais. À data, a utilização das chapas de fibrocimento, para cobertura de edifícios industriais e até de habitações, era ainda uma vantagem técnica e económica e a CIVAL, logo em 1991, posicionou-se no patamar dos primeiros distribuidores nacionais da Cimianto / Eternit, atingindo uma facturação de 98.300 contos.

As chapas de Aço galvanizadas e lacadas e com diversos perfis começam a aparecer no mercado e em 1992 a Cival, em parceria com a Comegasa / Espanha, que já produzia as chapas perfiladas e tornando-se seu distribuidor oficial, introduz no mercado português os primeiros painéis sandwich de produção em continuo e com tapa-juntas. As primeiros produções destes painéis vieram para Portugal para a cobertura das piscinas municipais de Ilhavo, aplicadas pela Norfer, e para o Centro Tecnológico do Calçado em S. João da Madeira, aplicados pela Martifer.

Na aposta na qualidade e no serviço, a Cival aceitou o repto de tudo ou nada que lhe foi lançado pela Administração da Simoldes para que em uma nova fábrica, que estavam a construir, fossem criadas condições de conforto no trabalho e se aproveitasse ao máximo a luz natural, procurando a diminuição dos custos energéticos quer no aquecimento e ventilação quer na iluminação. Com a aplicação dos painéis sandwich da Comegasa na cobertura e as chapas alveolares de policarbonato, que começavam a ser comercializadas pela Cimianto, foi grande a surpresa e espanto para os colaboradores dessa nova empresa, e para os colegas que trabalhavam no edifício em frente, quando em pleno Inverno os trabalhadores da IMA utilizavam uniforme de Verão na zona de produção e as lâmpadas estavam desligadas durante todo o dia.

No reconhecimento, que muito nos honra e agradecemos, a Administração da Simoldes ordenou a substituição da cobertura das outras fabricas do grupo e a aplicação de paineis sandwich na cobertura e fachada em todas as novas unidades fabris do grupo. Este facto foi um grande impulso e cartão de visita e de recomendação para o desenvolvimento do nosso mercado dos paineis.

No seu espirito de cooperação e de serviço, quer com os seus clientes quer com os seus fornecedores, procurando encontrar a melhor solução técnica e mais económica para cada obra e a mais rentavél para o cliente final, a Cival tem-se vindo a afirmar como uma empresa de referencia no mercado Ibérico sendo distribuidora das mais avançadas empresas neste sector, estando presente nas grandes obras dos eventos nacionais tais como na Expo-98 e nos estádios do Euro 2004 ( Luz, Dragão, Aveiro, Guimarães, Coimbra), Centros Comerciais como Arrábida e Norte Shopping, Dolce Vita (Colombo, Vasco da Gama, Glicínias, Freeport, em especial de Braga, entre outros), Aki , Staples, Feira Nova / Pingo Doce, Modelo / Continente, Minipreço, Intermaché, Makro, Lidl, Leroy Merlim, Moviflor, Decathlon, Media Market, e outros grandes obras nacionais novas tais como Cimpor, Secil, EDA /EDP, Pataias, Efacec, Portucel / Soporcel, Celbi, Colep-CCL, Vicaima-Globaldis, Renault, Citroen, Mercedes, Pegeuot, Nestlé, Lactogal/Mimosa, Bel e Lacto Açoreana, Insulac, lactovil, Indulac, Paiva, Adegas e Caves de Vinho do Porto e Espumantes, Transportadoras e Transitários, industrias Ceramicas, moagens, Panificadoras, conservas e vários outros produtos alimentares, Aviários e criação de gado e de caça, Bombeiros, Hotéis e infraestruturas de turismo e habitação, e em recuperação e modernização de obras como Palácio de Belém, Assembleia da Republica, Casino do Estoril e Figueira da Foz, Universidades Aveiro, Porto, Coimbra, Aeroporto de Lisboa, Porto, Faro e Ponta Delgada e várias escolas secundárias novas e remodeladas, Hospitais Centrais, pavilhões e piscinas Municipais, e muitas outras obras, que muito nos honram, e que seria fastidioso estar a enumerar a todos, mas que a todos agradecemos o prestigio que nos tem dado.

Colaborando activamente com vários Gabinetes de projecto, tanto em parcerias técnicas, como parceiros de desenvolvimento de projectos buscando a optimização em função da relação qualidade / preço, a Cival está com os mais prestigiados gabinetes do País.

Na sua filosofia de mercado sempre foi lema da Cival promover o bom relacionamento e cooperação entre os seus clientes e esta estratégia tem dado excelentes resultados com as múltiplas parcerias que temos estabelecido entre muitos dos nossos clientes e que tem contribuído imenso para o desenvolvimento e consolidação da nossa empresa.

O crescimento da Cival tem sido continuo, tendo atingido no inicio de Dezembro de 1999 o marco histórico de facturação de um 1 milhão de contos ( 5 milhões de euros) e o seu máximo de facturação no ano de 2008 com 8.491.992,54 euros, esperando no corrente ano ultrapassar esta cifra.

A exportação foi sempre e desde o início um dos objectivos da Cival e se no início e aproveitando a experiência e conhecimento da sua direcção, exportava bobines de chapa lacada que depois reimportava perfilada, há já bastantes anos que coopera e promove as exportações dos seus clientes fazendo entregas de material para obras em vários países da Europa (França, Espanha, Itália, Inglaterra e Bélgica), e também nos Países da CPLP (Angola, Cabo Verde, Moçambique e Brasil) e países do Norte de África (Argélia, Marrocos e Senegal), e presentemente está a exportar directamente para América Central e a breve prazo também para América do Sul.

 

 

 
© 2018 Cival - Comércio Internacional de Materiais de Construção, S.A.
RocketTheme Joomla Templates